30 de setembro de 2009

WEST OZ!!


A merrequinha aí da foto eu vi e peguei lá do site da SURFER. O australiano Mark Visser dropou essa morra em Cowbombie, West Australiao, com um tamanhem 36 pés. Gigante, ventoso e muito frio dentro e fora d'água. O pico anda se confirmando como uma das grandes ondas do mundo e vem sendo visitada constantemente por big surfers do mundo inteiro. O texto, em inglês e na íntegra pode ser visto aqui.

27 de setembro de 2009

VIDEO SESSION

QUIKSILVER PRO DIA 1



QUIKSILVER PRO DIA 2



QUIKSILVER PRO DIA 3




TIAGO PIRES E A BELÍSSIMA VITÓRIA EM CIMA DE KELLY SLATER
Mesmo com um score 9.33 que pareceu um tanto forçado a favor de Kelly, o português Saca faz uma virada histórica em cima do "Smelly Skater" e faz seu melhor resultado esse ano.



PATRICK BEVEN DERROTA O LÍDER JOEL PARKINSON
Nascido em Niterói e radicado na França, Patrick Beven é dono de um surf forte e potente. No Quiksilver Pro ele entrou como alternate, venceu o atual líder do tour, Joel Parkinson, e foi até a semi-final do evento.



FINAL DO QUIKSILVER PRO
Mick Fanning é uma máquina de competir. Surfa rápido, forte e faz de tudo para arrasar seus adversários. Na final do Quiksilver Pro Fanning começou forte e até o final da bateria ditou o ritmo da competição deixando Bede precisando de para virar a bateria. Uma combinação de ondas.

MICK FANNING VENCE O QUIKSILVER PRO



O último dia de competições do Quiksilver Pro France 2009 aconteceu em ondas de meio metrinho no beach break de Seignosse, ao lado de Hossegor, litoral sudoeste da França.

As surpresas começaram já nas oitavas-de-final. Bede Durbidge eliminou o queridinho da Quiksilver Dane Reynolds que vinha fazendo as melhores apresentações do evento. Bem Dunn fez a mala do americano CJ Hobgood e Bobby Martinez, que vinha fazendo um surf nada expressivo tirou o forte Taylor Knox.
Na quarta bateria o brasileiro radicado na França Patrick Beven, que entrou no evento como alternate do evento, escova o aussie Dean Morrison. Na sequencia Kelly esmaga o tahitiano Michel Bourez, Fanning vence o sul-africano Jordy Smith e Taj aniquila o compatriota Kieren Perrow.

As quartas de final foram ainda mais eletrizantes. Na primeira bateria o australiano Bede Durbidge venceu por pouco o também australiano Bem Dunn. O niteroiense-francês Patrick Beven escovou o americano Bobby Martinez. O português Tiago Pires fez uma bateria irretocável e aniquilou um inspirado Kelly Slater fazendo uma das melhores baterias desse evento. Na ultima bateria Mick Fanning detonou o compatriota Taj Burrow.

Na primeira bateria da semi-final, Bede Durbidge encara o local e alternate Patick Beven, escolhe bem as ondas e elimina o franco-brasileiro.
Na segunda semi, Mick Fanning detona o portugês Tiago Pires.

Na final, BEDE DURBIDGE (AUS) x MICK FANNING (AUS). A máquina de guerra australiana Mick Fanning contra o determinado e frio Bede Durbidge, Fannming mostrou porque já foi campeão do mundo e abate um apático Bede Durbidge que finaliza a bateria precisando de 16.67 para virar.

Adriano de Souza, o Mineirinho, não conseguiu a vitória em sua bateria de estréia
e foi tentar a sorte no Losers round, a repescagem, onde foi eliminado pelo australiano Phil MacDonald. Com a 33 colocação no evento, Mineirinho cai de numero 2 para o número 6 do ranking.

Jihad Khodr está no WorldTour mas sua cabeça, seu foco e o seu surf não estão. Jihad mais uma vez foi eliminado de primeira e está cada vez pior no ranking (38 lugar).

Heitor Alves foi muito bem no Quiksilver Pro, fez boas atuações e só parou diante de um consistente Jordy Smith no Round 3. A 17 colocação no evento lhe rendeu importantes pontos e Heitor hoje está com a 25 colocação no World Tour.

Palavras de Fanning:

"I was really fortunate to get those couple of good ones at the start because I really ran out of gas there at the end," Fanning said. "It's two back-to-back events where I have had to surf four heats on the final day to get the win and it takes a lot out of you. The conditions were deteriorating and I was fortunate to get those scores on the board early on."

"It's back on," Fanning said. "Everyone though Joel (Parkinson) was going to run away with it and it's unfortunate for him that he fell out early, but I've put in a lot of work to get these last two wins and I'm just psyched on heading into the rest of the season."

Faning vence sua segunda etapa seguida no tour e se aproxima ainda mais do líder Joel Parkinson.

AS BATERIAS DO DIA

ROUND 4


Bede Durbidge (13.33) x Dane Reynolds (12.40)
Ben Dunn (13.83) x CJ Hobgood (12.37)
Bobby Martinez (11.43) x Taylor Knox (10.30)
Dean Morrison (12.67) x Patrick Beven (14.10)
Kelly Slater (17.23) x Michel Bourez (8.33ven)
Tiago Pires (14.83) x Tim Boal (11.10)
Mick Fanning (16.40) x Jordy Smith (15.00)
Taj Burrow (15.74) x Kieren Perrow (10.40)

CONFIRA OS VIDEOS DO ROUND 4 AQUI
http://quiksilverlive.com/profrance09/videos,30.pt.html


QUARTAS DE FINAL

Bede Durbidge (14.70) x Ben Dunn (13.60)
Bede não precisou de mais do que duas ondas médias de 7.67 e 7.03 para vencer o compatriota Bem Dunn.

Bobby Martinez (14.00) x Patrick Beven (14.86)O franco-brasileiro Patrick Beven está fazendo um grande evento, veio derrotando grandes nomes do surf mundial e o goofy Bobby Martinez e suas estocadas de frontside não foram suficientes para o surf power de Bevan.

Kelly Slater (17.43) x Tiago Pires (17.70)
Provavelmente a melhor bateria do tour. Kelly, que vem com suas micro-pranchas grudadas no pé faz 9.33 e 8.10 e mostra que não está ali para brincar. Enquanto o Saca Pires faz um 9.57 e espera uma segunda nota. Faltando 4 minutos para acabar, o Saca precisa de 7.86 para virar quando entra uma boa esquerda, com as duas primeiras manobras bem fortes e faz um 8.13. Grande virada do português e faltando 2 minutos Kelly precisa de 8.38, que não vem. Outra grande vitória em cima do careca Slater.

Mick Fanning (16.13) x Taj Burrow (12.33)
Duelo de Titâs. Fanning começa com ondas fracas, em suas quatro primeiras ondas não faz mais do que 4.00, quando entra uma boa onda pro albino Fanning que detona a onda em faz 9.00. Taj inicia com 6.00 e 6.33, arrisca mais mas ainda não tem uma nota hi-score. Nume pequena esquerda Fanning faz ainda um 7.00 e deixa Taj precisando de 9.67 faltando 6 minutos para acabar. A onda salvadora de Taj não vem e Mick Fanning mais uma vez vai chegando nas finais.

CONFIRA OS VIDEOS DAS QUARTAS AQUI
http://quiksilverlive.com/profrance09/videos,31.pt.html


SEMI-FINAL

Bede Durbidge (14.76) x Patrick Beven (12.90)
Bede começa a bateria com uma pequena direita de uma manobra só, um aéreo de front sem as mãos (5.33). Uma pequena onda de três manobras lhe renderam ainda um 4.83 e um 7.00 numa boa esquerdinha, isso enquanto minha conexão aqui com o evento caiu. Patrick começa com um humilde 3.83 e ainda não tem uma primeira nota. Patrick Beven faz um 6.00 e bede da a resposta fazendo um 7.33 e um 7.43 surfando determinado as pequenas ondas que entraram na bateria. Beven consegue só um 4.03. Bede surfa seguro, escolhendo bem as ondas e mostra um surf bem seguro e consistente, enquanto Beven parece nervoso. Faltando 5 minutos para o final, Patrick Beven precisa de 8.76 para virar. Uma pequena onda rende um 6.90 para Beven que faltando 2 min para o final ainda precisa de 7.86 para virar.
Bede está nas finais e Patrick Beven fez um ótimo campeonato.

Tiago Pires (12.33) x Mick Fanning (17.43)Fanning começa com uma pequena esquerda de 3 manobras e fez um 6,67, enquanto o Saca começa com um 3.33 e um 5.00. Fanning detona uma esquerda de 4 manobras e faz dois hi-scores 8.50 e 8.00, colocando o português Tiago Pires numa situação complicada. Saca Pires ainda responde com um 7.33 e faltando 15 minutos Saca precisa de 9.17. Fanning pega mais uma esquerda menorzinha, detona a onda e faz um 7.07 que não entra em seu somatório. No final deu Mick Fanning que continua forte em sua busca pelo título. Para o Saca foi o melhor evento do ano.

CONFIRA OS VIDEOS DA SEMI AQUI
http://quiksilverlive.com/profrance09/videos.en.html


FINAL

Bede Durbidge (12.87) x Mick Fanning (16.66)
A grande final. Mick começa forte e ditando o ritmo da bateria. Escolhe uma boa primeira onda e inicia a disputa com um 7.83. Bede foi pegando o que aparecia e só consegue duas notas 3.33. Mais uma boa onda pro Mick e o australiano não perdoa, espanca a onda e faz 8.83, enquanto Bede pega uma onda pequena de manobras mais fracas e faz 5.33. Fanning está com o modo “guerra”ligado e continua massacrando Bede, faz um 7.33 e um 6.40 que nem entram em seu somatório. Ainda faltam 20 minutos e Bede ainda tem tempo de sair da combinação de ondas. Bede ainda faz duas esquerdas regulares e faz 6.40 e um 6.10, mas continua precisando de 16.67. Fanning continua espremendo as pequenas ondas de Seignosse e faz mais um 6.70. Faltando 5 minutos para terminar a final, Bede continua na “Kombi” (combinação de 2 ondas) e vai entregando fácil a bateria pro Mick, que vence a segunda etapa consecutiva e se aproxima ainda mais do líder Joel Parkinson.

CONFIRA O VIDEO DA FINAL AQUI
http://quiksilverlive.com/profrance09/videos.en.html

Agora o circuito desloca-se para Mundaka, País Basco, onde a oitava etapa do circuito mundial acontece de 5 a 17 de outubro.


Resultado do Quiksilver Pro France 2009


1 Mick Fanning (Aus)

2 Bede Durbidge (Aus)

3 Patrick Beven (Fra)

3 Tiago Pires (Por)

5 Ben Dunn (Aus)

5 Bobby Martinez (EUA)

5 Kelly Slater (EUA)

5 Taj Burrow (Aus)

17 Heitor Alves (Bra)

33 Adriano de Souza (Bra)

33 Jihad Khodr (Bras)



Ranking do World Tour depois de sete etapas

1 Joel Parkinson (Aus) 5896 pontos

2 Mick Fanning (Aus) 5750

3 C.J. Hobgood (EUA) 4872

4 Bede Durbidge (Aus) 4792

5 Kelly Slater (EUA) 4638

6 Adriano de Souza (Bra)

7 Taj Burrow (Aus) 4417

8 Damien Hobgood (EUA) 4384

9 Bobby Martinez (EUA) 4314

10 Taylor Knox (EUA) 4216

25 Heitor Alves (Bra) 2822

38 Jihad Khodr (Bra) 2135

JOSH KERR SE LESIONA NA FRANÇA

CONFIRA O VIDEO

Tweaked In France from KerrAzy Productions on Vimeo.



O aussie Josh Kerr, atleta do circuito mundial (e que voa e dá manobras acrobáticas como poucos no mundo), se lesionou num floater de backside numa pequena onda, enquanto fazia um freesurf. Os colegas de tour e também australianos Adrian Buchan e Jay Thompson tiveram que carregar Kerr até o carro.

Com a saída de Josh Kerr, mais uma vaga para o Quiksilver Pro foi aberta. E foi numa dessas vagas que Patrick Beven, brasileiro nascido em Niterói e radicado na França, que foi até a semi-final do evento principal.

O vídeo foi retirado do KERRAZY, o blog de Josh Kerr.
http://www.kerr-azy.blogspot.com/

26 de setembro de 2009

QUIKSILVER PRO FRANCE 2009



HEITOR PERDE E DANE REYNOLDS, KELLY SLATER E MICK FANNING DÃO SHOW NA FRANÇA.

O Quiksilver Pro France, etapa nº 7 do World Tour de 2009, recomeçou no beach break de Les Bourdaines, Hossegor, para rolar as 3 baterias restantes do Round 2 e todo o Round 3. As ondas ecom cerca de 1 metro de altura e a formação um pouco prejudicada por um leve vento maral deram o tom do dia.

Já na primeira bateria do dia, o cearense Heitor Alves surfou muito bem e eliminou o australiano Jay Thompson, garantindo presença no Round 3. Veloz como sempre, com fortes manobras e bem adaptado às merrequinhas francesas Heitor vai somando pontos importantes.

Nas baterias seguintes, o Roy Powers venceu o americano Tim Reyes e Bem Dunn venceu fácil o maluco wardo que chegou atrasado na sua bateria.

CONFIRA OS VIDEOS DO ROUND 2 AQUI
http://quiksilverlive.com/profrance09/videos,27.pt.html

RESULTADOS DO ROUND 3

Bede Durbidge (15.50) x Nic Muscroft (12.03)

Dane Reynolds (18.27) x Roy Powers (11.00) - Dane Reynolds quebrou tudo, surfou como nunca e vem confirmando a ótima fase no tour. Com notas 8.67 e 9.60 o americano Reynolds carimba seu passaporte para as oitavas.

Fredrick Patacchia (13.13) x Ben Dunn (14.57)
CJ Hobgood (14.50) x Phillip MacDonald (12.80)

Bobby Martinez (16.50) x Greg Emslie (9.74)

Taylor Knox (13.17) x Dustin Barca (12.70) – Taylor vem se dedicando numa forte preparação física e os resultados falam por si próprios. Tio Taylor anda escovando seus adversários e mostrando que ainda tem o surf no pé.

Dean Morrison (13.57) x Mick Campbell (12.80)

Joel Parkinson (13.07) x Patrick Beven (14.87) -
O atual número 1 do mundo contra o local Patrick Bevan, um brasileiro radicado na França. Joel começou surfando ondas médias e sem muito power, mas mostrou que, como sempre, seu surf está confiante e no pé. Patrick começou com um 6.10 mas ficou muito tempo parado esperando uma onda que nunca vinha. Joel ainda faz um 7.50 e já estava com a bateria na mão. Faltando menos de 5 min pra acabar, Patrick Beven rema numa esquerda da série, manobra forte e faz um 8.00. Joel perde a liderança e fica nervoso enquanto Patrick pega mais uma esquerda e amplia a liderança com um 6.87. O líder do tour perde pro local que sai da bateria amarradão com a vitória. Parko é só careta. Bom para o Mineirinho, que garante que Joel não ampliará ainda mais a distância.

Kelly Slater (16.73) x Joan Duru (13.57) –
O careca Smelly Skater começou a bateria surfando muito solto numa pequena esquerda que o careca enche de pancadas e já na areia termina a onda num aéreo de backside cheio de estilo. Joan Duru faz uma primeira onda fraca e logo na segunda que ele arrebenta uma esquerda com manobras forte e bem definidas. Kelly faz 7.83, Joan Duru faz 9.17. Na seqüência um 4.33 pro Kelly e um 4.40 pro Joan. O Kelly é o homem-de-borracha e surfou com uma quadriquilha de epoxy, muito pequena e que parecia estar colada nos pés. O Duru estava muito solto e mostrou conhecimento do pico e escolheu melhor as ondas. Faltando 9 minutos pro final Kelly surfa muito bem uma pequena esquerda e faz 7.17. Agora a pressão está com o franco-brasileiro. Kelly ainda faz um 8.90 e liquida a fatura.

Kai Otton (9.76) x Michel Bourez (13.57)
Damien Hobgood (12.83) x Tiago Pires (16.43) O português Thiago Pires, o Saca, quebrou tudo, surfou muito forte deixando o americano Damien Hobgood correndo atrás toda a bateria. É o melhor resultado de Saca esse ano. Importantes pontos pro saca

Tom Whitaker (14.67) x Tim Boal (15.43)

Mick Fanning (15.54) x Julian Wilson (13.06)
Mick começa forte em uma boa esquerda que lhe rende varias manobras e faz um 6,67. O Wild Card Julian “RabetaSolta” Wilson surfa leve e radical, mas em suas primeiras ondas mostra um pouco de nervosismo. Faltando 10 minutos para acabar a bateria, o surf sólido e power de Fanning não dá muito espaço para o novato Wilson, que tem um surf moderno e radical mas sem a mesma consistência de Fanning que é uma máquina de competir. Mick faz 6,67 e 8, 67 enquanto Wilson faz 5,67 e 7,33. A bateria acaba com Wilson precisando de 8.02 para vencer.

Jordy Smith (14.40) x Heitor Alves (12.50)
Bateria de verdadeiros show-man. O grandulão Jordy Smith é muito talentoso e a cada onda parecia querer espremer as merrecas francesas em sua busca por pontos. Heitor é leve e igualmente talentoso e radical. Jordy começa com 4.00 e 6,67 enquanto Heitor inicia a bateria sem notas expressivas. Jordy pega uma boa esquerda, executa muito bem as duas primeiras manobras e faz 7,67. Depois de 15 min de bateria heitor só tem dois 4 e pouco, quando entra uma boa esquerda e Heitor dá um aéreo invertendo, arrisca bastante e manda mais duas manobras, 7,67. Faltando 5 min, Heitor precisa de 6,67, uma onda com potencial não entra pro brasileiro que perde a bateria para Jordy Smith.

Taj Burrow (15.17) x Aritz Aranburu (10.16)
Taj já começa a bateria quebrando tudo e já na primeira onda faz um 8.00. Na seqüência mais um 7.17 jogando muito água nas manobras e mostrando o seu surf diferenciado e expressivo enquanto Aranburu ficou apático na bateria.

Kieren Peurrrow (11.67) x Chris Davidson (11.47)

CONFIRA OS VIDEOS DO ROUND 3 AQUI
http://quiksilverlive.com/profrance09/videos.pt.html


Dane Reynolds está numa ótima fase no tour.

As oitavas e as finais devem rolar nesse domingo, pois não existem boas condições previstas para os próximos dias. A primeira chamada acontece as 4 da manhã, horário do Brasil.


Oitavas-de-final


1 Bede Durbidge (Aus) x Dane Reynolds (EUA)

2 Ben Dunn (Aus) x C.J. Hobgood (EUA)

3 Bobby Martinez (EUA) x Taylor Knox (EUA)

4 Dean Morrison (Aus) x Patrick Beven (Fra)

5 Kelly Slater (EUA) x Michel Bourez (Tah)

6 Tiago Pires (Por) x Tim Boal (Fra)

7 Mick Fanning (Aus) x Jordy Smith (Afr)

8 Taj Burrow (Aus) x Kieren Perrow (Aus)

PRECISANDO DE ROUPAS DE NEOPRENE??


SURFER 2009 WETSUIT BUYER'S GUIDE

A Revista americana SURFER MAGAZINE lançou o seu guia anual de wetsuits. Com a chegada de cada inverno no hemisfério norte, surgem os novos modelos de neoprene. Vale a pena conferir. É só clicar no nome dos fabricantes e conferir os lançamentos de cada marca.

Vai lá, direto no site do SURFER 2009 WETSUIT GUIDE
http://www.surfermag.com/buyers-guide/wetsuit/2009/index.html

24 de setembro de 2009

UMA LUZ NO FIM DO TUBO







Retirei esses vídeos, contando um pouco da histótia do Figue, do Alohapaziada, um blog de muito valor e onde todo dia eu dou uma passada para surfar em seus posts. Editado pelo Maurio Borges, respeitado e conhecido no meio do surf, Maurio é outro que está sempre antenado nas diversas nuances que formam nosso esporte. Mas não estou aqui para falar especificamente do Maurio. Estou aqui para ajudar a mostrar a história do Figue, esse exemplo de garra, coragem e determinação.

"Uma luz no fim do tubo" mostra a vida de Elias "Figue" Diel, 35 anos, que era uma promessa do surfe no final dos anos 80 e teve essa trajetória interrompida após um acidente de carro, aos 16 anos que o deixou cego.

Muitas vezes eu vi essa figura em campeonatos e eventos de surf, mas não tinha a menor idéia da história desse surfista e hoje deficiente visual. Na verdade nem preciso comentar nada, como muito bem disse o Maurio Borges, deixe as imagens falarem. A mim, só resta aplaudir.

Como disse uma vez o sábio e provocador Millor fernandes, o pior cego é o que não quer ouvir.

As imagens são de Antonio Zanella e Gustavo Zanella.

23 de setembro de 2009

QUIKSILVER PRO FRANCE 2009 - ROUND 1

Nem bem acabou o Hurley Pro, na Califórnia e já começa a perna européia do World Tour com o Quiksilver Pro France 2009, evento que começou com altas ondas em Seignosse, na praia de Hossegor. Litoral sudoeste da França. As séries de ondas forte com até 1,5 m de altura proporcionou muitas manobras e um show de surf por parte doa elite do surf mundial.

O evento numero 7 de 10 etapas do World Tour 2009, o Quiksilver Pro France apresentou um fantástico surf em seu dia de início. Os melhores surfistas do mundo apostando tudo nas pesadas ondas do beach break da França.

Os brasileiros Adriano de Souza, Heitor Alves e Jihad Khodr perderam no round de estréia e agora terão de disputar uma vaga na repescagem. Mineirinho até pegou boas ondas na estréia, mas não o suficiente para ganhar do taitiano Michel Bourez. Já Heitor e Jihad perderam feio no Round 1.

Os destaques desse primeiro round foram Taj Burrow (16.67), Michel Bourez (15.20), Joel Parkinson (15..44), Kelly Slater (14.53), Jordy Smith (14.17) e Dane Reynolds (17.33), que fizeram as maiores médias do dia.

OS VIDEOS DO ROUND 01 PODEM SER VISTOS AQUI
http://quiksilverlive.com/profrance09/videos,25.en.html

Os melhores momentos de hoje, notas, fotos e vídeos estão no site do evento
www.quiksilverprofrance.com


QUIKSILVER PRO FRANCE RESULTADOS DO ROUND 1:

Heat 1: Taylor Knox (USA) 12.67, David Weare (ZAF) 9.10, Chris Ward (USA) N/S

Heat 2: Nic Muscroft (AUS) 11.67, Ben Dunn (AUS) 11.00, Bobby Martinez (USA) 10.60

Heat 3: Damien Hobgood (USA) 13.50, Timmy Reyes (USA) 6.10, Drew Courtney (AUS) 5.83

Heat 4: Taj Burrow (AUS) 16.67, Phillip MacDonald (AUS) 10.16, Heitor Alves (BRA) 7.80

Heat 5: Michel Bourez (PYF) 15.20, Adriano de Souza (BRA) 15.10, Marlon Lipke (DEU) 7.14

Heat 6: Julian Wilson (AUS) 13.33, Bede Durbidge (AUS) 8.67, Dean Morrison (AUS) 8.53

Heat 7: Joan Duru (FRA) 11.37, Adrian Buchan (AUS) 11.10, C.J. Hobgood (USA) 11.03

Heat 8: Joel Parkinson (AUS) 15.44, Kai Otton (AUS) 10.40, Gabriel Villaran (PER) 7.33

Heat 9: Kelly Slater (USA) 14.53, Alain Riou (PYF) 11.67, Mick Campbell (AUS) 7.26

Heat 10: Patrick Beven (FRA) 11.83, Mick Fanning (AUS) 11.54, Kekoa Bacalso (HAW)
10.97

Heat 11: Tom Whitaker (AUS) 12.74, Roy Powers (HAW) 9.00, Jihad Khodr (BRA) 7.50

Heat 12: Chris Davidson (AUS) 13.74, Aritz Aranburu (EUK) 11.17, Kieren Perrow (AUS) 7.17

Heat 13: Dane Reynolds (USA) 17.33, Nathaniel Curran (USA) 15.60, Jay Thompson (AUS) 6.56

Heat 14: Tim Boal (FRA) 11.30, Michael Picon (FRA) 10.66, Fredrick Patacchia (HAW) 9.60

Heat 15: Jordy Smith (ZAF) 14.17, Dayyan Neve (AUS) 11.87, Tiago Pires (PRT) 7.00

Heat 16: Dustin Barca (HAW) 10.77, Jeremy Flores (FRA) 9.34, Greg Emslie (ZAF) 4.63


QUIKSILVER PRO FRANCE - RESULTADOS DO ROUND 2:

Aproveitando o bom tempo e as ondas, a organização do evento deu início ao Round 2. A surpresa aqui foi a eliminação do brasileiro Adriano de Souza para o “freguês de carteirinha” Phillip MacDonald. Mineirinho, atual numero 3 do ranking é eliminado do evento, fica com a 33ª colocação pela segunda vez esse ano (a primeira foi em J-Bay) e agora torce para seus adversários na briga pelo título também perderem.

Heat 1: Mick Fanning (AUS) 13.83 def. Gabriel Villaran (PER) 6.30 -
Bateria super disputada. Até o final da bateria houve trocas de liderança. No final o surf preciso de Damien fez diferença e elimina o atleta da polinésia francesa.

Heat 2: C.J. Hobgood (USA) 15.17 def. Alain Riou (PYF) 14.83 - Bateria super disputada. Até o final da bateria houve trocas de liderança. No final o surf preciso de Damien fez diferença e elimina o atleta da polinésia francesa.
Heat 3: Bede Durbidge (AUS) 15.33 def. Marlon Lipke (DEU) 10.17 - Bateria fácil para Bede Durbidge que lidera do início ao fim

Heat 4: Phillip MacDonald (AUS) 16.90 def. Adriano de Souza (BRA) 15.13 - Mineirinho não se encontra na bateria enquanto o australiano já encontra duas boas ondas logo no início. No finalzinho Adriano até tenta uma reação mas o experiente australiano aumenta suas notas e elimina o brasileiro.

QUIKSILVER PRO TRESTLES ROUND 2 – AS BATERIAS QUE FALTAM:

Heat 5: Bobby Martinez X Drew Courtney
Heat 6: Kieren Perrow X David Weare
Heat 7: Fredrick Patacchia X Jihad Khodr
Heat 8: Jeremy Flores X Aritz Aranburu
Heat 9: Kai Otton X Nathaniel Curran
Heat 10: Mick Campbell X Michael Picon
Heat 11: Kekoa Bacalso X Tiago Pires
Heat 12: Adrian Buchan X Greg Emslie
Heat 13: Dean Morrison X Dayyan Neve
Heat 14: Heitor Alves X Jay Thompson
Heat 15: Tim Reyes X Roy Powers
Heat 16: Ben Dunn X Chris Ward

EDUCAÇÃO NO SURF É BASICO!


É final de semana. A previsão estava certa e um dia perfeito de surf o espera. Você está louco para pegar umas ondas e corre para a praia. Os picos estão todos cheios de gente. Todo tipo de gente. Surfistas habilidosos, principiantes, pregos, todos com fome de onda. Mas você vai e encara. O mar é de todos e você quer apenas pegar suas ondas. E ela vem. Surge no horizonte e vem reto em você. perfeita. Já na hora do drop, você vê um sujeito mal-intencionado remando na sua onda, querendo cortar sua frente e pegar a onda que entrava pra você.. aí fudeu..é a pior coisa que tem. As vezes acontece de bater, de machucar, de quebrar prancha... Uns relevam, outros querem resolver na porrada. Mas o que acontece sempre é que alguém sai frustrado por ter sua onda estragada por alguém. Mas é inevitável, e sempre acontece.

A falta de educação dentro d’água e a ignorância de muitos com as regras gerais do surf, frequentemente causam muitos problemas em nossas praias e areias. Ficar dando volta nos outros querendo pegar todas as ondas, rabear o próximo e atrapalhar quem já está surfando, são atitudes feias, mal-educadas e até perigosas. Afinal, como diz o velho ditado, respeito é bom e faz bem pros dentes.

Mas tenho que deixar bem claro, não sou a favor da violência e do localismo. Muito pelo contrário, sou a favor da educação e da cordialidade. Surf é amizade, é respeito, é cordialidade. Mas pra ser assim, as pessoas tem de entender as regras básicas de básicas de etiqueta e boa educação dentro d’água.

Alguns picos já colocam placas de “Etiqueta Surf” como uma iniciativa para tentar educar a crowd, que é cada vez maior. Que sirva de exemplo, e que a galera aprenda a se comportar dentro d’água.


O video abaixo mostra uma consequência violenta e bizarra para uma "rabeada" que deve ter deixado o surfista aí do video irado.

Só para lembrar 1: Nada justifica a violência.
E só para lembrar 2: Não entre na onda de ninguém.

Quiksilver Pro France 2009 - Teaser

19 de setembro de 2009

RANKING MUNDIAL APÓS O HURLEY PRO

Já está atualizado o ranking do circuito mundial de surf após o Hurley Pro.


1 Joel Parkinson (AUS) 1 1 9 3 1 17 - - - - 5486
2 Mick Fanning (AUS) 3 5 9 5 17 1 - - - - 4550
3 Adriano de Souza (BRA) 2 17 5 2 17 5 - - - - 4348
4 C.J. Hobgood (USA) 5 5 5 3 9 9 - - - - 4272
5 Damien Hobgood (USA) 5 17 9 9 2 9 - - - - 3974
6 Kelly Slater (USA) 17 17 17 1 9 3 - - - - 3906
7 Bede Durbidge (AUS) 5 17 17 5 9 3 - - - - 3760
8 Taj Burrow (AUS) 3 17 2 5 17 33 - - - - 3685
9 Taylor Knox (USA) 17 9 5 17 5 5 - - - - 3616
10 Bobby Martinez (USA) 33 9 1 9 5 33 - - - - 3582
24 Heitor Alves (BRA) 17 33 17 17 33 5 - - - - 2412
37 Jihad Khodr (BRA) 9 17 33 33 33 33 - - - - 1910

HURLEY PRO - TRESTLES 2009



MICK FANNING FAZ A FESTA NA CALIFÓRNIA

O australiano vence o Hurley Pro, conquista sua primeira vitória este ano e leva pra casa os 105.000 dólares de premiação da etapa.

Depois de 3 dias de pausa no HURLEY PRO 2009 por falta de ondas, o evento volta em seu último dia de janela de espera para rolar todas as baterias das oitavas-de-final, todas quartas-de-final e as baterias semi-finais e a grande final.

O palco do último dia é o pico de Lower Trestles com meio metro, um metro na série e ondas pequenas e bem demoradas.

Nas oitavas de finais o destaque vai para o brasileiros Adriano de Souza (15.50) e Heitor Alves (14.16). Os dois tiveram as maiores médias do dia e arrebentaram seus adversários. Mineiro esmagou o australiano Josh Kerr e Heitor passou fácil por Damien Hobggod.

As quartas-de-final começam com a derrota de Mineirinho para o australiano Bede Durbidge. Mineirinho bem que tentou mas as condições do mar não ajudaram muito e por muito pouco não passa para a semi-final. Na bateria seguinte Dane Reynolds esmago taylor Knox com a maior média do dia (18.10) e está formada a primeira semi: BEDE DURBIDGE X DANE REYNOLDS.Na segunda semi, Kelly Slater elimina o brasileiro Heitor Alves com relativa facilidade. Heitor errou muito e contra o Kelly não dá para errar. Na ultima bateria das quartas o australiano Mick Fanning detonou Michel Bourez, formando a segunda semi: KELLY SLATER X MICK FANNING

Na primeira semi o americano Dane Reynolds aproveitou sem bom momento nas competições e o conhecimento do pico, surfou muito e espancou o australiano Bede Durbidge. Na segunda semi, Mick Fanning pegou de jeito um desatento Kelly Slater e atropelou o careca. DANE REYNOLDS (USA) X MICK FANNING (AUS) na final do Hurley Pro 2009.

Na grande Final o australiano Mick Fanning faz a festa na terra do adversário, escovando o americano Dane Reynolds por 17.40 a 13.10 e levando os 105.000 dólares de premiação.

OITAVAS DE FINAL

BATERIA 1 –
BEDE DURBIDGE (AUS) X KAI OTTON (AUS)
A bateria começou com poucas ondas e Bede Durbidge levou a melhor fazendo 12.67 pontos (7.00 e 5.67) contra 5.83 (2.33 e 3.50) de Kai Otton

BATERIA 2 –
ADRIANO DE SOUZA (BRA) X JOSH KERR (AUS)
O brasileiro Mineirinho esmagou o australiano Josh Kerr. Adriano achou duas boas ondas enquanto Kerr surfou ondas sem muito power. Mineirinho 15.50 (7.33 e 8.17) contra 12.00 (6.00 e 6.00) do australiano.

BATERIA 3 –
TAYLOR KNOX (USA) X ROY POWER (HAW)
O experiente Taylor garantiu sua vitória logo na primeira onda. Depois as ondas sumiram e o havaiano Roy Powers ficou só assistindo a bateria. Taylor 9.50 (7.17 e 2.33) contra 3.67 (3.67) do havaiano.

BATERIA 4 –
DANE REYNOLDS (USA) X ROB MACHADO (USA)
Os queridinhos da américa fizeram uma bela bateria. Enquanto Dane imprimia um ritmo forte jogando mais água, Rob surfava muito fluido e mandando muitas manobras. No final venceu o surf power e moderno de Dane Reynolds que venceu de 13.60 (6.33 e 7.27) contra 10.94 (5.67 e 5.27) de Rob Machado.

BATERIA 5 –
KELLY SLATER (USA) X KEKOA BACALSO (HAW)
Kelly reina durante toda a bateria. Na última onda da bateria Kekoa surfa uma ótima esquerda e quase vira a bateria. Kelly vence fazendo 12.83 (7.33 e 5.50) contra 12.50 (5.17 e 7.33) do gordinho havaiano.

BATERIA 6 –
HEITOR ALVES (BRA) X DAMIEN HOBGOOD (USA)
Um duelo de goffys e de valeteiros. Heitor começa imprimindo um forte ritmo em cima de Damien, que passa todo tempo atrás na bateria. Com rabetadas e aéreos o cearense Heitor Alves elimina Damien por 14.16 ( 6.83 e 7.33) contra 12.27 (6.00 e 6.27) do americano.

BATERIA 7 –
MICHEL BOUREZ (PYF) X CJ HOBGOOD
Uma bateria bem disputada. Michel Bourez começa surfando mais forte e passou a bateria toda liderando a disputa. C.J. tenta dar o troca mas a sorte estava no lado de Bourez que vence por 12.83 (6.50 e 6.33) contra 11.96 (6.83 e 5.13) do americano.

BATERIA 8
MICK FANNING (AUS) X KIEREN PERROW (AUS)
Mick Fanning começa forte. Suas duas primeiras ondas o mantém na liderança da bateria até o final. Mesmo precisando de 5.81 para virar a bateria, Kieren Perrow não encontra uma boa onda. Fanning vence por 11.63 ( 6.0 e 5.63) contra (5.83 e 4.60) de Perrow.

QUARTAS DE FINAL

BATERIA 1
ADRIANO DE SOUZA (BRA) X BEDE DURBIDGE (AUS)
Bede Durbidge começa forte com uma boa direita e diversas manobras e faz um 7.33. Mineirinho dá uma resposta numa boa esquerda de 3 manobras e faz 5.00.
Bede pega uma esquerda de 4 manobras e faz 5.83. Mineirinho pega uma boa onda e com 3 boas batidas e faz um 7.00. Na seqüência mineirinho faz 3.93 numa pequena direita e Bede faz varias manobras numa direitinha que abriu bastante e faz 5.63. Faltando 10 minutos para acabar ainda precisa de 6.17 para virar a bateria.
Faltando 5 minutos para acabar, Mineirinho pega uma ótima direita que lhe rende muitas manobras, fortes e bem executadas e faz 7.50. Bede pega a de trás e faz também um 7.50. No final deu Bede Durbidge com 14.63 (7.33 e 7.50) contra 14.50 (7.00 e 7.50) de Mineirinho.


BATERIA 2
TAYLOR KNOX (USA) X DANE REYNOLDS (USA)
Bateria dos San Diego Boys e uma aula de estilo. Na primeira onda da bateria Dane Reynolds faz 3.0. Taylor faz uma boa primeira onda e cheio de estilo e faz 6.00. Dane pega uma ótima direita, manobra forte jogando muita água e faz 9.70, um notão. Taylor faz um 4.50 que não lhe rende muitos pontos mas que entra em seu somatório. Numa pequena direita do inside, Dane da duas rasgadelas e tenta um aéreo no final mas não comleta, faz 3.07 e amplia um pouco sua vantagem. Faltando 10 minutos para acabar, Taylor Knox tem a prioridade e precisa de 4.78 para virar. Dane pega uma esquerdinha intermediaria, da uma batidinha, um floater meio rock’n roll e manda um aéreo de backside 360 sem as mãos: 8.50 e deixa o Tio Taylor precisando de 18.21 para virar. Missão impossível pro Taylor Knox que vai pra casa de kombi.

BATERIA 3
KELLY SLATER (USA) X HEITOR ALVES (BRA)
Smelly Skater versus o nosso capoeira surf. Kelly iabre a bateria com uma direita de duas manobras, uma delas foi daquelas manobras impossíveis e elásticas que só o Kelly faz e começa com 5.83. Heitor tenta um aéreo e cai, 1.00. Kelly soma mais um 0.93 e 1.40 em duas ondas onde nada dá certo para o americano. Kelly pega uma boa direita de manobras bem definidas e faz 7.17. Heitor pega duas onda fraca e faz 3.00 e 2.50. Na onda seguinte Heitor começa bem mas força demais no aéreo do final e faz 4.17. Kelly pega a de trás e numa esquerda média faz 6.67 e aumenta a pressão pro brasileiro. Entra uma boa da série e Kelly pega a direita e Heitor pega a esquerda. Kelly faz 3.37 e Heitor faz 4.00. Faltando 8 minutos para o final Heitor precisa de 9.67 para virar a bateria e para de entrar onda até o final da bateria, para sorte de Kelly Slater. Kelly faz13.84 (7.17 e 6.67) contra 8.17 (4.17 e 4.00) do brasileiro.

BATERIA 4
MICHEL BOUREZ (PYF) X MICK FANNING (AUS)
Michel Bourez começa fazendo 0.57 e Mick Fanning abre a bateria com uma direita mediana que lhe rende 5 manobras e um 7.67. Na seqüência Michel pega uma boa direita e faz 5.50. Na onda de trás Fanning espanca e faz um 8.33. Fanning numa onda fraca faz 3.43 e para de entrar onda. Faltando 9 minutos para acabar, Michel Bourez precisa de 16.01 para virar. Fanning faz ainda um 6.67 quando entra uma boa direita e fanning faz uma excelente onda e manda um 9.17 jogando muita água. Bourez pega uma direitinha pequena e faz 4.33. Logo em seguida Bourez pega uma boa onda que lhe rende um 7.50. No final deu Mick Fanning com 17.50 (8.33 e 9.17) contra 13.00 (5.50 e 7.50) de Bourez.


SEMI-FINAL

BATERIA 1
BEDE DURBIDGE (AUS) X DANE REYNOLDS (USA)
Bede Durbidge abre a bateria com uma boa direita que lhe 6.50 enquanto Reynolds faz um 1.07 em sua primeira onda e 4.5º em sua segunda. Durbidge pega uma pequena direita que abre muito. O australiano mostra as quilhas, faz 5 manobras e consegue mais um 5.83. Dane Reynolds pega uma ótima direita, surfa muito bem e faz um 9.67. Que virada de bateria. Dane faz ainda em seguida mais um 6.43 e amplia a diferença. Bede faz ainda um 3.93 e na seqüência um 7.73. Faltando 10 minutos para acabar, Bede Durbidge precisa de 8.38 para virar a bateria. Reynolds pega uma direita mais no inside que lhe rende 4 manobras e um 7.10. Bede precisa agora de um 9.05. Dane vence por 16.77 ( 9.67 e 7.10) contra 14.23 (6.50 e 7.73) de Durbidge.

BATERIA 2
KELLY SLATER (USA) X MICK FANNING (AUS)
Mick Fanning pega a primeira onda, surfa forte e faz 6.67, enquanto Kelly vaca em sua primeira manobra e faz 1.17. Em sua segunda onda da uma boa batida mas cai na segunda manoba tentando uma batida 360 e faz 2.33. Fanning pega uma pequena mas boa direita, manda 6 manobras e faz um 8.33. Kelly na mesma onda vai para a esquerda, dá um reverse e faz 3.40. Kelly precisa agora de 15.01. Fanning pega uma boa direita, da 3 rasgadas e faz um 6.0. Kelly entra na de trás e logo sai da ondae faz 2.00. Faltando 10 minutos para o térimino da bateria, Kelly continua precisando de 15.01 para virar e suas ultimas notas são 1.20, 1.00, 2.00, 1.00. 0,63 e 0.90. Faltando 7 minutos kelly pega uma pequena direita, surfa até a areia e faz 6.57. Kelly precisa agora de 9.69. Fanning vem na de trás e faz 7.93. No final deu Mick fanning com 16.26 (8.33 e 7.93) contra 10.74 (3.40 e 6.57) de Kelly.



FINAL

DANE REYNOLDS (USA) X MICK FANNING (AUS)
Mick Fanning pega a primeira onda da bateria e faz 7.83. Na seqüência Fanning pega uma pequena esquerda, manda 3 manobras e faz um 3.83. Fanning pega sua terceira onda, uma pequena onda de inside, manda 5 manobras e faz 6.17. Com 15 minutos passados de bateria, Dane Reynolds não tem nenhuma onda surfada e precisa de 14.00 pontos para virar o resultado. Finalmente Dane pega sua primeira, manda um cut back, uma rasgada e um floater e faz 5.00. Fanning tem a prioridade e quando entra a séria ele vem numa direita pequena mas que lhe rende . Dane Reynolds faz 1.23 e 1.10 e um 5.77 numa onda um tanto fraca e continua atrás no placar. Fanning pega uma boa direita, faz belor arcos jogando muita água e faz 8.50 e logo na seqüência um 8.90. Dane precisa agora de 17.41 para virar e faltam 07 minutos para acabar. Dane pega uma esquerda pequena, manda 5 manobras com um aéreo 360 sem as mãos no final e faz 7.33 e ainda precisando de uma combinação de ondas. No final, Mick Fanning ganha o Hurley Pro, vence por 17.40 (8.50 e 8.90) a 13.10 (5.77 e 7.33) de Reynolds e vai pra casa 100.000 dólares mais rico.


CONFIRA OS VIDEOS AQUI

VIDEOS DO ROUND 4
http://www.hurley.com/hurleypro/ondemand.cfm?round=Round 4

VIDEOS DAS QUARTAS
http://www.hurley.com/hurleypro/ondemand.cfm?round=Quarter%20Finals

VIDEOS DAS SEMI
http://www.hurley.com/hurleypro/ondemand.cfm?round=Semifinals

VIDEO DA FINAL
http://www.hurley.com/hurleypro/ondemand.cfm?round=Finals


ANÁLISE DOS BRASILEIROS NA ETAPA

ADRIANO DE SOUZA – Mineirinho surfou muito em todas suas baterias e mostrou maturidade e um surf moderno e consistente. Com esse resultado Mineirinho sai da etapa americana como o número 3 do mundo. NOTA 09

HEITOR ALVES (5º) – Heitor mandou muito bem no Hurley Pro. Mostrou força, velocidade e um surf forte e moderno. Só parou diante do frio Kelly Slater nas quartas-de-final. Heitor sobe no ranking e mostra um bom surf. Se trabalhar melhor sua inteligência emocional vai longe. NOTA 08

JIHAD KHODR (33º) – Jihad mais uma vez não se deu bem com as ondas e caiu já no round 2. Para muitos, Jihad teve suas notas esmagadas, mas o fato é que Jihad está cada vez pior no ranking e suas atuações no tour não estão convencendo. NOTA 04


RESULTADO DO HURLEY PRO TRESTLES 2009

1 Mick Fanning (Aus)
2 Dane Reynolds (EUA)
3 Kelly Slater (EUA)
3 Bede Durbidge (Aus)
5 Adriano de Souza (Bra)
5 Heitor Alves (Bra)
5 Michel Bourez (Tah)
5 Taylor Knox (EUA)
33 Jihad Khodr (Bra)


VENCEDORES WORLD TOUR 2009

STOP 1 – GOLD COAST (AUSTRALIA) – JOEL PARKINSON
STOP 2 – BELLS BEACH (AUSTRALIA) – JOEL PARKINSON
STOP 3 – TEAHUPOO (TAHITTI) – BOBBY MARTINEZ
STOP 4 – PRAIA DA VILA (BRASIL) – KELLY SLATER
STOP 5 – J-BAY (ÁFRICA DO SUL) – JOEL PARKINSON
STOP 6 – TRESTES (ESTADOS UNIDOS) - MICK FANNING
STOP 7 – HOSSEGOR (FRANÇA) - ???
STOP 8 – MUNDAKA (ESPANHA) - ???
STOP 9 - SUPERTUBOS (PORTUGAL) - ???
STOP 10 – PIPELINE (HAWAII) - ???
CAMPEÃO MUNDIAL 2009 - ??

18 de setembro de 2009

The goodslife

Um blog que sempre entro e que tem uns vídeos legais e engraçados é o The GoodsLife, editado pelos dos irmãos C.J. e Damien Hobgood. Tem postagens direto, o dia-a-dia dos irmãos hobgood e as etapas to tour. Vale a pena conferir. http://www.blog.thegoodss.com/

O vídeo abaixo, com o aquecimento antes das baterias do Hurley Pro, em Trestles, eu peguei lá. Confere que vale a pena.


Warm it up,hurley pro trestles 09 from thegoods:CJ and Damien Hobgood on Vimeo.

DIA MUNDIAL DE LIMPEZA DAS PRAIAS



Esse final de semana acontece o Dia Mundial de Limpeza das Praias (Clean Up Day), um evento que acontece simultaneamente em mais de 120 países, e vem se tornando um dos eventos ambientalistas internacionais mais conhecidos e participativos do mundo.

O evento, um programa sem fins lucrativos que promove atividades ambientalistas todo ano no terceiro final de semana de setembro, vem ajudando a diminuir um dos maiores problemas ambientais da atualidade, representado pelas crescentes montanhas de resíduos que se encontram em nossas praias, produzidos por nossa sociedade moderna de consumo.

Pessoalmente, não acredito que mutirões de limpeza resolvam problema algum. Claro que retirar o lixo das praias é bom para todos. Não me entendam mal. Mas essas ações normalmente servem mais para divulgar marcas/associações/ongs que retiram o lixo da praia, mas não resolvem a raiz do problema, porque passado o dia da limpeza, novamente a população volta a deixar o lixo na rua e nas praias. O que resolve o problema, é investir em educação ambiental.

Em cada casa, em cada bairro, em cada escola, e em cada praia desse Brasil, as pessoas devem receber essa informação e entender que deixar qualquer tipo de lixo na praia, afeta diretamente a saúde das pessoas, da natureza e dos animais que vivem em nossas praias.

É preciso também iluminar a cabeça de nossos representantes políticos sobre a necessidade de se investir em educação, em estudos e em ações de preservação e conservação dos ambientes costeiros ao invés de gastar milhões de dólares em aviões de guerra e submarinos nucleares. Todos nós precisamos das praias limpas e saudáveis para aproveitar com dignidade o que esse ambiente nos oferece.

Que esse dia de limpeza das praias ilumine a cabeça das pessoas sobre esse que é um problema realmente sério e diário em nossas vidas.

Para nós surfistas e amantes da vida à beira-mar, esse assunto é sério, necessário e urgente. A praia é nosso lugar sagrado e precisamos delas saudáveis, limpas e conservadas.


15 de setembro de 2009

HURLEY PRO - ROUND 3


DANE REYNOLDS (USA) X BEN DUNN (AUS)
Poucas ondas e muito tempo de bateria parada. Dane Reynolds fez 13.33 (5.00 e 8.33) contra 12.94 (6.17 e 6.77) de Bem Dunn.

JOEL PARKINSON (AUS) X ROB MACHADO (USA)
O cabeludo Rob Machado elimina o atual número 1 do mundo com duas belas direitas. No último instante da bateria entra uma onda para Joel que rema e não entra. Rob Machado faz 11.27 ( 5.57 e 5.70) contra 10.73 ( 5.50 e 5.23) de Parko.

KELLY SLATER (USA) X BRETT SIMPSON (USA)
O monstro Slater escova o compatriota Brett Simpson que pareceu estar nervoso diante do careca. Slater faz 16.83 ( 9.00 e 7.83 ) contra 9.24 ( 5.17 e 4.07) de Simpson, convidado do evento.

KEKOA BACALSO (HAW) X CHRIS DAVIDSON (AUS)
O gordinho havaiano surpreende, surfa forte e detona o australiano Davo. Kekoa faz 12.50 ( 5.33 e 7.17 ) contra 10.46 ( 5.33 e 5.13) do australiano.

DAMIEN HOBGOOD (USA) X TIAGO PIRES (PORT)
Damien, acostumado com as ondas pequenas, faz 15.10 (7.17 e 7.93 ) contra 14.73 ( 8.23 e 6.60 ) do português Tiago Pires e segue na competição.

JEREMY FLORES (FRA) X HEITOR ALVES (BRA)
O brasileiro Heitor Alves surfa muito, mostra um surf rápido, potente, radical e detona o Francês Jerremy Flores por 15.77 ( 7.0 e 8.77 ) contra 14.50 (6.33 e 8.17 ) do Francês.

CJ HOBGOOD (USA) X LUKE STEDMAN (AUS)
CJ confirma a boa fase nesse evento e vence por 13.50 (7.73 e 7.77) contra 10.93 (5.83 e 5.10) do australiano Luke Stedman.

DEAN MORRISON (AUS) X MICHEL BOUREZ (PYF)
Michel Bourez surfou muito forte, achou duas notas acima de 8, fez 16.10 ( 8.00 e 8.10) e eliminou o australiano Dingo que fez 11.60 (5.67 e 5.93)

MICK FANNING (AUS) X MICHAEL PICON (FRA)
Fanning, a maquina australiana de competição normalmente não dá mole nem nas condições mais adversas. Nas merrequinhas de Lower Trestles Fanning fez 16.74 ( 8.67 e 8.07) contra 10.33 ( 5.50 e 4.83 ) de Picon.

KIEREN PERROW (AUS) X TIM BOAL (FRA)
O aussie Kieren Perrow finalizou o round 3 vencendo apertado o francês Tim Boal por 13.84 ( 6.67 e 7.17) contra 13.44 (5.67 e 7.77) de Boal .

O dia encerrou com a Expression Session onde O resultado foi definido de forma inédita. Em uma parceria com a rede social Facebook, a manobra mais radical foi julgada pelos internautas que acompanharam ao vivo transmissão do evento e assumiram o papel dos juízes.

Com 40% dos votos, Reynolds levou a melhor sobre Josh Kerr (18%), Kelly Slater (16%) e Adriano de Souza (15%), quatro primeiros entre os 12 participantes da disputa.

OS VIDEOS DO ROUND 3 PODEM SER VISTOS AQUI
http://www.hurley.com/hurleypro/ondemand.cfm?round=Round%203

14 de setembro de 2009

HURLEY PRO - TRESTLES - ROUND 2

O segundo dia do Hurley Pro aconteceu com ondas um pouco melhores. Ainda pequeno, mas um pouco mais liso, o que proporcionou ondas bem manobráveis para os atletas que disputaram a repescagem. Ao longo do dia o mar perdeu força e o vento maral deixou as ondas novamente ruins.

Bateria 03 CJ HOBGOOD (USA) 15.84 X 11.33 MARLON LIPKE (DEU)
CJ Hobgood quebrou tudo, surfou leve, executou muitas manobras e não deu chances para o alemão Marlon Lipke que acabou eliminado.

Bateria 04 ADRIANO DE SOUZA (BRA) 14.40 X 8.53 PHIL MACDONALD (AUS)
O brasileiro Adriano de Souza esmagou o australiano Phil MacDonald que acabou a bateria precisando de 9.80 para virar.

Bateria 05 BOBBY MARTINEZ (HAW) 11.00 X 12.70 LUKE STEDMAN (AUS)
O Aussie Luke Stedman optou pelas esquerdinhas, executou uma série de rasgadas de backside em cada uma de suas ondas e isso foi suficiente para passar pelo americano Bobby Martinez. Bobby caiu muito, não achou as melhores ondas e acabou eliminado da competição.

Bateria 06 NIC MUSCROFT (HAW) 13.34 X 12.16 TOM WHITAKER (AUS)
Essa foi uma bateria que apresentou melhoras significativas no mar.
Tom Whitaker começou muito bem a bateria, surfando forte e com estilo, mas Nic Muscroft achou uma boa direita que o levou para o próximo round.

Bateria 07 TAYLOR KNOX (USA) 12.93 X 12.83 DREW COURTNEY (AUS)
Taylor Knox é o mais velho atleta do tour, um dos mais experientes surfistas do mundo e estava surfando em casa. Tudo isso contou e muito nessa bateria de poucas ondas boas. Taylor vence por um décimo e manda o australiano pra casa mais cedo.

Bateria 08 JORDY SMITH (ZAF) 13.24 X 13.50 TIAGO PIRES (PORT)
O grandulão Jordy Smith não se adaptou as merrequinhas que rolaram em sua bateria e perdeu para o português Tiago Pires, que não precisou mais do que um 7.83 e um 5.67 para vencer Jordy.


Bateria 09 MICK CAMPBELL (AUS) 0 X 1 GREG EMSLIE (ZAF)

Bateria 10 KIEREN PERROW (AUS) 11.56 X 8.90 JIHAD KHODR (BRA)
O brasileiro Jihad Khodr mais uma vez não se achou na bateria e perdeu para Kieren Perrow que não precisou mais do que 4.23 e 7.33 para vencer Jihad.

Bateria 11 ADRIAN BUCHAN (AUS) 13.50 X 11.60 ARITZ ARANBURU (EUK)
Essa foi uma bateria bem disputada. Os dois atletas são excelentes surfistas, mostraram muita vontade mas as ondas não ajudaram muito. Adrian Buchan vence e manda o atleta do país basco de volta pra casa.

Bateria 12 NATHANIEL CURRAN (USA) 8.93 X 10.50 DEAN MORRISON (AUS)
Outra bateria dificil de ondas. Dean venceu o americano Nathaniel Curran e passa para o próximo round com notas 4.5 e 5.5

Bateria 13 TIM REYES (USA) 11.57 X 12.13 ROY POWERS (HAW)
Roy Powers escolheu um pouco melhor as ondas que entraram, conseguiu imprimir um pouco mais de radicalidade nas manobras e eliminou o prata da casa Tim Reyes.

Bateria 14 CRIS WARD (USA) 11.36 X 16.26 JAY THOMPSON (AUS)
Jay Thompson apareceu endiabrado para essa bateria. Nem bem tocou o sinal de início, pegou sua primeira onda, assumiu a liderança da bateria e deixou o maluco wardo a ver navios. Wardo até que tentou dar seus aéreos, mas o surf de Jay T. foi mais potente.

Bateria 15 DAYYAN NEVE (AUS) 17.17 X 15.23 JOSH KERR (AUS)
A bateria que salvou o dia. Josh Kerr conseguiu um 9.5 e um 7.67, faz a maior media do dia e esmaga Dayyan Neve.

Bateria 15 BEN DUNN (AUS) 8.23 X 7.67 DUSTIN BARCA (HAW)
Uma das baterias mais mornas do dia, Bem Dunn passou pelo havaiano marrento com notas 4.5 e 4.0

CONFIRA OS VÍDEOS DO ROUND 2 AQUI
http://www.hurley.com/hurleypro/ondemand.cfm?round=Round 2


Após o termino do Round 2, a organização colocou na água as primeiras baterias do Round 3.

Bateria 01
Primeiro BEDE DURBIDGE (AUS) 14.33
Eliminado DAVID WEARE (ZAF) 12.83

Bateria 02
Primeiro KAI OTTON (AUS) 16.67
Eliminado JAY THOMPSON (AUS) 13.50

Bateria 03
Primeiro JOSH KERR (AUS) 8.23
Eliminado ADRIAN BUCHAN (AUS) 7.76


Bateria 04
Primeiro ADRIANO DE SOUZA (BRA) 15.07
Eliminado NIC MUSCROFT (AUS) 12.26

Bateria 05
Primeiro TAYLOR KNOX (USA) 13.17
Eliminado GREG EMSLIE (ZAF) 9.77

Bateria 06
Primeiro ROY POWERS (HAW) 13.06
Eliminado FRED PATACCHIA (HAW) 12.00

CONFIRA OS VÍDEOS DO ROUND 3 AQUI
http://www.hurley.com/hurleypro/ondemand.cfm?round=Round 3

MAIS UM TITULO BRASILEIRO NESSE WQS 5 ESTRELAS

A final brasileira do WQS 5 estrelas de Pantín, na Espanha trouxe um terceiro título para o Brasil que passou despercebido para a maioria das pessoas.

Ambos os atletas, Willian Cardoso e Rodrigo Pedra Dornelles usam as pranchas mágicas do brasileiro Xanadu, shaper radicado na Califórnia. Pedra é atleta do Xanadu há muitos anos e Willian, apesar de ser do time Rusty, este ano está usando as pranchas do Xanadu com quem já fez mais de 10 pranchas. Os resultados de ambos (que estrão muito bem encaminhados no WQS) dizem tudo. Foguetes mágicos para atletas que querem um bom desempenho nas ondas. E esse título do WQS é também do Xanadu.


Rodrigo Dornelles e sua Xanadu.Velhinha e sempre boa.

Willian Cardoso já fez mais de 10 pranchas e já en.comendou mais 5 para o Hawaii.

FOTOS: ASP EUROPE

ASP STOP 6 - HURLEY PRO - TRESTLES - CA



O Hurley Pro, 6 etapa do World Tour começou hoje em Lowers Trestles, na Califórnia, com ondas pequenas, cheias e bastante mexidas, o que toda tirou um pouco do brilho da abertura deste que é o evento de maior premiação deste ano.

Nada de muito especial foi apresentado pelos atletas. No geral as médias foram baixas e a qualidade das ondas não ajudou muito os atletas. (E pensar que muita gente ficou reclamando das condições aqui no Brasil...) Mas vale destacar as atuações de Mick Fanning (14.83), Bede Durbidge (15.34) Dane Reynolds (14.84), Brett Simpson (14.24)e Michel Bourez (15.67) que fizeram as melhores médias do dia.

Adriano de Souza, apesar de estar surfando em casa (o atleta mora na califórnia), não escolheu bem as ondas e deixou mole a tarefa do americano Dane Reynolds. Mineirinho ficou precisando de uma combinação de ondas até o final da bateria e agora vai tentar a sorte na repescagem.

Jihad Khodr mais uma vez foi esmagado em sua bateria de estréia e não mostrou a que veio. Ou o paranaense reencontre seu caminho na competiçãoou pode focar sua carreira em outro circuito.

Heitor Alves foi o único brasileiro a passar direto para o round 3. Com fortes batidas, rasgadas, rabetadas e um surf muito rápido, Heitor conseguiu se adaptar facilmente as ondas de trestles e passou fácil por Kieren Perrow e por Roy Powers.

O show do dia foi mesmo de Kelly Slater (18.50). O careca entrou na água, e nas suas duas primeiras ondas fez um 9.0 e um 9.5, colocou Rob Machado e Adrian Buchan em combinação e liquidou a fatura sem dar chances alguma a seus concorrentes. Apesar de suas duas notas expessivas nas primeiras ondas, Kelly chegou a usar 3 diferentes pranchas em sua bateria.

Como ainda havia tempo, a organização do evento mandou para a água as primeiras baterias do ROUND 2.

Na primeira bateria, o atual número 1 do mundo, Joel Parkinson mostrou experiência, escolheu bem as ondas e passou fácil por Kai Barger com notas 5.83 e 6.33. O wild card Kai Barger é o primeiro atleta a deixar o evento.

Na segunda bateria Taj Burrow contra Rob Machado, dois grandes surfistas que tinham tudo para ser campeões mundiais e só não foram por causa da Dinastia Slater.
Taj começa bem a bateria e Machado dá o troco logo em sua segunda onda. Taj surfa mais duas boas ondas e segura a vitória até o finalzinho da bateria, quando Rob Machado encontra uma boa onda e vira denovo em cima do australiano. Rob Machado, atleta Hurley, fez a festa da torcida local e Taj, atleta que está na disputa do título, é o segundo surfista a deixar o evento.

Após a segunda bateria do Round 2 o evento foi paralisado devido ao forte vento maral.

OS VIDEOS DO ROUND 1 PODEM SER VISTOS AQUIhttp://www.hurley.com/hurleypro/ondemand.cfm?round=Round%201

Primeira fase
1 Michael Picon (Fra) 13.67, Ben Dunn (Aus) 9.67 e Tom Whitaker (Aus) 9.50
2 Damien Hobgood (EUA) 7.27, Dustin Barca (Haw) 6.80 e Drew Courtney (Aus) 5.43
3 David Weare (Afr) 9.43, Bobby Martinez (EUA) 8.64 e Dayyan Neve (Aus) 7.10
4 Mick Fanning (Aus) 14.83, Chris Ward (EUA) 8.76 e Nic Muscroft (Aus) 4.43
5 Bede Durbidge (Aus) 15.34, Tim Reyes (EUA) 11.00 e Luke Stedman (Aus) 7.97
6 Dane Reynolds (EUA) 14.84, Phillip MacDonald (Aus) 11.47 e Adriano de Souza (Bra) 6.16
7 Kekoa Bacalso (Haw) 11.90, Marlon Lipke (Ale) 11.66 e C.J. Hobgood (EUA) 10.27
8 Kai Otton (Aus) 12.83, Joel Parkinson (Aus) 9.83 e Kai Barger (Haw) 7.83
9 Kelly Slater (EUA) 18.50, Adrian Buchan (Aus) 14.00 e Rob Machado (EUA) 9.67
10 Brett Simpson (EUA) 14.24, Taj Burrow (Aus) 11.34 e Dean Morrison (Aus) 8.10
11 Chris Davidson (Aus) 13.96, Tiago Pires (Por) 13.77 e Taylor Knox (EUA)11.76
12 Michel Bourez (Tah) 15.67, Jordy Smith (Afr) 14.87 e Greg Emslie (Afr) 11.14
13 Fredrick Patacchia (Haw) 11.97, Josh Kerr (Aus) 11.33 e Jihad Khodr (Bra) 8.86
14 Jeremy Flores (Fra) 12.66, Aritz Aranburu (Esp) 11.47 e Jay Thompson (Aus) 8.87
15 Tim Boal (Fra) 14.10, Nathaniel Curran (EUA) 12.83 e Mick Campbell (Aus) 7.16
16 Heitor Alves (Bra) 14.57, Kieren Perrow (Aus) 11.44 e Roy Powers (Haw) 4.17

Round 2
1 Joel Parkinson (Aus) 12.16 x Kai Barger (Haw)
2 Rob Machado (EUA) 15.16 x Taj Burrow (Aus) 15.00

3 CJ Hobgood (EUA) x Marlon Lipke (Ale)
4 Adriano de Souza (EUA) x Phillip MacDonald (AUS)
5 Bobby Martinez (EUA) x Luke Stedman (Aus)
6 Tom Whitaker (Aus) x Nic Muscroft (Aus)
7 Taylor Knox (EUA) x Drew Courtney (Aus)
8 Jordy Smith (Afr) x Tiago Pires (Por)
9 Mick Campbell (Aus) x Greg Emslie (Afr)
10 Kieren Perrow (Aus) x Jihad Khodr (Bra)
11 Adrian Buchan (Aus) x Aritz Aranburu (Esp)
12 Dean Morrison (Aus) x Nathaniel Curran (EUA)
13 Tim Reyes (EUA) x Roy Powers (Haw)
14 Chris Ward (EUA) x Jay Thompson (Aus)
15 Dayyan Neve (Aus) x Josh Kerr (Aus)
16 Dustin Barca (Haw) x Ben Dunn (Aus)

13 de setembro de 2009

ONE TRACK MIND

One Track Mind é um filme obrigatório para quem quer entender a mente dos melhores e mais promissores surfistas do mundo.

One Track Mind from Woodshed Films on Vimeo.



'One Track Mind' Webisode 1: The Progression from Woodshed Films on Vimeo.



'One Track Mind' Webisode 2: Equipment Check from Woodshed Films on Vimeo.



O filme é a última criação da Woodshed Films (leia-se Moonshine Conspiracy) e mostra o lado técnico e a natureza ambiciosa dos mais competitivos surfistas do mundo. Tom Curren, Brad Gerlach, Kolohe Andino, Chris Malloy e Kelly Slater, junto com o cineasta Emmett Malloy falam sobre competição, equipamento e sobre a evolução do surf.

Você pode baixar esse vídeo aqui
http://surfmovies.blogspot.com/2009/03/one-track-mind.html
Pelo Torrent

OLAS DEL URUGUAY



Confere lá http://www.surfinguruguay.com

11 de setembro de 2009

HURLEY PRO OFERECE U$ 100.000 PARA O VENCEDOR EM TRESTLES



Parece que os rumos do surf competição e de suas premiações está mesmo mudando. Depois de anos e anos com o circuito mundial sendo comandado pelas três gigantes do surf (Quiksilver, Billabong e Rip Curl) que fecharam as portas do circuito para outras marcas e, como um cartel, definiram que pagariam valores mínimos exigidos pela ASP para que os eventos da entidade pudessem acontecer. Dessa vez a coisa parece que está mesmo mudando.

A Hurley, marca que pertence a Nike, depois de oferecer uma quantia recorde no WQS em Huntington Beach (U$ 100 mil), anunciou oficialmente que vai repetir a premiação e que pagará mais 100 mil dólares para o vencedor do Hurley Pro, etapa do World Tour que começa amanhã (12/09) em Trestles, na Califórnia. Esse valor é quase quatro vezes maior do que a premiação padrão dos eventos da ASP.

Como muito bem já havia dito o Teco Padaratz, “num torneio de golfe, onde o máximo de risco que o competidor está sujeito é levar uma picada de abelha, o vencedor de um torneio ganha 1 milhão de dólares. No surf, onde os competidores arriscam suas vidas para surfar ondas como Pipeline e Teahupoo, ou junto com tubarões brancos na África, Austrália e Califórnia, um surfista que vence uma etapa do circuito mundial ganha 30 mil dólares”. Favela? Pois essa é a realidade da premiação atual do tour. E é por essas e outras que o Kelly anda articulando com a ESPN a criação de um circuito paralelo, mais rico, mais valorizado e com um formato mais adaptado a mídia televisiva.

Que os rumos do surf competição realmente mudem, que empresas sérias e com vontade de investir forte no esporte apareçam e que os atletas, que são a força motriz e quem realmente faz o esporte acontecer, seja enfim valorizado como merece.

9 de setembro de 2009

DEREK HYND & THE WEIRD FINLESS BOARD

Derek Hynd e uma de suas criações fin less. No The Alley Fish Fry, blog que sempre visito para dar uma olhada nas fish boards, diz que ele estava surfando Bells Beach com mais de 8 pés com essa “invenção”.

Abaixo eu coloco um vídeo do Mr Hynd surfando sem as quilhas em J-Bay.
Categoria pouca é bobagem.






SURF NA POROROCA

Confesso que também sempre fui meio desconfiado com esse papo de surf na Pororoca. Já vi diversas matérias, as proezas de Serginho Lauss, relatos, vídeos e matérias sobre o surf nessas ondas de maré em plena selva. Mas uma coisa é certa, o surf na Pororoca é de cansar as pernas, a onda é provavelmente a mais longa do mundo, o surf é desafiador, diferente e quem já foi garante: faz a cabeça e é melhor do que aquilo tudo que a gente vê nos videos e nas revistas.

Curte aí alguns vídeos encontrados no YouTube.







VIDEO SESSION

RUSTY TEAM IN BALI

Rusty Team in Bali from Ryan Bautista on Vimeo.



SURFERS AND WHALES



OWEN WRIGHT IN SUPERTUBOS



DUSTY PAYNE AND MITCH COLEBORN'S SESSION



LINES FROM A POEM TRAILER

8 de setembro de 2009

QUERO UMA DESSAS NA MINHA CIDADE!

Sempre fui contra as coisas muito artificiais. O que é natural é natural e não tem conversa. Mas como eu queria uma dessas... Não tem dia de flat, não tem crowd (o público dentro d'água é controlado) e o mais legal, você pode controlar o tamanho das ondas, se vai ter mais esquerdas ou mais direitas e até o tamanho dos tubos. Oooooooo la em casa..



IAN GENTIL - 13 ANOS

Essa eu vi no Blog do Júlio Adler e fiquei impressionado.
O moleque dos vídeos aí embaixo é Ian Gentil, 13 anos, filho de cearense, nascido na Florida e morador de Maui, no Hawaii. Ian já foi campeão sub-12 nos EUA e é uma das grandes promessas do futuro do surf mundial. Além de ter vencido o maior e mais prestigiado evento amador americano, o Surfing America Championships, Ian foi convidado pelo técnico Joey Buran para integrar o time dos EUA e disputar o mundial do ISA Games (International Surfing Association).

No texto do Goiabada, Julio fala que Ian Gentil já havia entrado para a história quando em 2006, aos 10 anos de idade, entrou pra historia da ASP como mais jovem competidor em campeonatos sancionados pela entidade, e no NSSA Ian fez um 20 na bateria, ou seja, duas notas 10.

O surf do moleque lembra o de Taj Burrow. Só que com essa idade, nem o Taj surfava tanto. Se o sucesso não subir pra cabeça, esse moleque vai longe.

Confere lá o site do moleque http://www.iangentil.com/

Maui super-grom Ian Gentil-Stab from Stab on Vimeo.




Ian Gentil 2009 NSSA Nationals from ACL Productions on Vimeo.



5 de setembro de 2009

XANADU APRESENTA SEU QUIVER



Filmado e editado por Herbert Passos Neto ( pranchagrandenews@hotmail.com )

2 de setembro de 2009

Top Shaper - Xanadu revela tendências 2009-2010



Filmado e editado por Herbert Passos Neto ( pranchagrandenews@hotmail.com )

OCCY and PARKO IN NZ 2009

OCCY and PARKO IN NZ 2009 from nzgreenroom on Vimeo.


Current world number one surfer Joel Parkinson and 1999 World Champion Mark Occhilupo got to taste what many visting surfers miss on their travels to New Zealand a solid East Coast swell.

NZ Greenroom Productions got to tag along on the trip to film their Kiwi experience.

Day one we surfed The famous Whangamata Bar sampling long lefthanders where Occy stole the show. Then it was a quick flight to Gisborne where we were rewarded with a perfect finale to these Corona Surf Trips. The pair enjoyed solid 1.5m waves at Wainui Beach.

After a quick porwhiri performed by Campion College students Parko and Occy hit the water with local legend and current WQS surfer Bobby Hansen. Along with handful of other eager surfers who paddled out to secure a superior vantage point from the hundreds lining the sand dunes.

The conditions were the best they had been all week with a crisp offshore and clear blue skies.

Current world number one Joel Parkinson dominated the session annihilating several oncoming sections and displacing massive amounts of spray to the applause of the crowd. Late in the session he got the best barrel of the afternoon and followed it up with a huge aerial to hoots from the sand dunes.

That was definitely the best surf of the trip for me for sure, I had a ball out there commented Parkinson. The waves were such fun and it was good to surf with Maz, Bobby and Blair.

Enjoy our take on the adventure.

Fresh Fruit for Rotten Vegetables Trailer

Fresh Fruit for Rotten Vegetables Trailer from Fresh Fruit for Rotten Vegetable on Vimeo.



Surfcraft Media Productions proudly presents Steve Cleveland latest movie "Fresh Fruit for Rotten Vegetables". The culmination of Cleveland's travels and filming over the past two years FFFRV is a fast paced, tightly edited, action packed surf film with an equally complimentary hi-bred sound track. The cast consists of some of the very best longboarders in the world, ridding all types of surfboards. That includes traditional single fin logs, tri-fin hi-performance longboards, alternative and retro shortboards, (hulls, eggs, fish, quads, twin fins) alaia's, and state of the art shortboards. Filmed in Australia, California, Hawaii, Indonesia and Mexico in Hi-Definition, "Fresh Fruit for Rotten Vegetables" will keep your finger on the rewind button.
*Featured surfers. Alex Knost, CJ Nelson, Beau Young, Harley Ingleby, Duane DeSoto, Bonga Perkins, Joel Tudor, Taylor Jensen, Jai Lee, Tyler Warren, Dane Peterson, Bryce Young, Chad Marshall, Christian Wach, Harrison Roach, Ned Snow, Brian Anderson, Kassia Meador, Jen Smith, Belinda Baggs, Bucky Barry, Jan Wessels.

Executive Producer Surfcraft Media Productions
Directed by and principal photography: Steve Cleveland
Edited by: Nathan Apffel
Art work and Design by Trevor Cleveland
Soundtrack by Fugazi, Screeching Weasel, Holloys, Elevator to Hell, Camera Obscura, New Order, Public Image LTD, White Arrows, Interpol, The Pixes, Stone Roses

1 de setembro de 2009

Seventy One Percent of Earth

Seventy One Percent of Earth from Colin Blackshear on Vimeo.

PUERTO ESCONDIDO

PROMO ONLY - HD from Mark Kronemeyer on Vimeo.

BRINQUEDINHO NOVO NO MERCADO.





Essa já tem um tempinho mas vale a pena divulgar.
Com a aquisição da Channel Island, do lendário shaper Al Merrik, pela empresa Burton, gigante do snowboard, vários novos modelos de pranchas (e uma aula de marketing) estão saindo do forno e sendo testadas nas praias do mundo inteiro.

Nesse vídeo Kelly Slater aparece no final de tarde em Jeffrey's Bay, quase noite, com essa squid boat, uma prancha bem diferente, com um bico recortado e parecido com uma rabeta. O video pode ser visto aqui.